terça-feira, janeiro 16, 2007

Nishime da minha mãe



Alguém perguntou neste post da receita do nishime que minha mãe preparou no Ano Novo e vou tentar explicar mais ou menos como ela faz. Digo tentar pois eu já a vi preparar várias vezes mas quando eu preparo sozinha nunca fica parecido, sempre parece estar faltando alguma coisa no tempero, que é a "alma" deste prato.

Começando pelos ingredientes:

- algumas coxinhas de asa de frango ou qualquer outra parte que tenha osso. Segundo minha mãe o caldo fica muito mais gostoso e é verdade!

- nabo, cenoura, inhame, broto de bambu, lenkon (raiz de lótus), tofu frito, tikuwa (massa de peixe), gobo (bardana), shiitake fresco, kombu, kon nyaku (massa de batata cozida).

- temperos: açúcar, mirin, hondashi (caldo de peixe em pó) , sal e shoyu (usukuti shoyu)

Preparativos:

- descasque e corte o nabo e a cenoura em rodelas mais ou menos grossas.

- aqui usamos o inhame congelado mas se for usar do fresco, descasque o inhame, lave bem e escorra a água. Jogue um punhado de sal e misture bem, amassando as batatas. Vai sair uma gosma do inhame. Lave bem novamente e coloque numa panelinha com água. Leve ao fogo e deixe ferver. Escorra e reserve.

- broto de bambu usamos do pré-cozido aqui mas se for usar do fresco, descasque e corte em pedaços menores. Lave e coloque na panela com água da lavagem do arroz, diz que é para tirar o amargo do bambu. Se não tiver água da lavagem, coloque um pouco de arroz cru. Tem quem use também fermento em pó. Deixe cozinhar e escorra. Reserve.

- descasque o lenkon, corte em rodelas e deixe de molho em água e vinagre. Antes de utilizar, lave bem com água e escorra.

- raspe a casca do gobo numa folha de jornal, cuidado com a roupa porque mancha! Lave bem, corte em diagonal e deixe de molho em água até a hora de utilizar.

- corte o kon nyaku em fatias e fala um pequeno corte no centro com a ponta da faca. Passe um lado da fatia por dentro desse corte, vai formar uma espécie de gravatinha borboleta. Leve tudo numa panela com água para o fogo e deixe ferver por uns 5 minutos. Escorra e reserve.

- passe um papel toalha umedecido no kombu para tirar as impurezas. Corte com tesoura ou faca em tiras de 2cm de largura e depois em pedaços de uns 10 a 12cm. Faça um nózinho nem muito apertado e nem muito frouxo.

- cortar o tofu, tikuwa e shiitake.

Modo de fazer:

Numa panela grande, refogue um ou dois dentes de alho picadinhos com um pouco de óleo. Coloque os pedaços de frango e deixe refogar por alguns minutos até mudar a cor. Junte água até mais ou menos metade da panela e deixe ferver. Quando ferver, vá tirando a espuma que se formar na superfície com espumadeira.
Deixe fervendo alguns minutos para tirar bem o sabor do frango. Junte então um pouco de hondashi, algumas colheres de açúcar e mirin. Coloque o shoyu até adquirir uma bela cor caramelada. Não coloque muito para não deixar escuro e com aparência feia. Se precisar salgar mais, use sal. Mas aqui que entra o balanço deste prato, a quantidade de açúcar e shoyu tem que estar em harmonia e eu ainda não consegui isso no olhômetro como minha mãe faz. Meu conselho, se é que vale alguma coisa (rsss) é ir colocando e experimentando até achar que chegou no ponto. Tem que sentir um pouco do doce e um pouco do salgado ao mesmo tempo.
Coloque os ingredientes que demoram mais para cozinhar primeiro como o kombu, nabo, broto de bambu, inhame e cenoura. Tampe e deixe até quase ficarem macios.

Caso não queira se arriscar muito, vou deixar a receita do caldo usado no livro de pratos japoneses que ganhei da Mamy.
Para cada xícara de caldo de peixe coloque 3 colheres de sopa de açúcar, 2 colheres de sopa de saque, 3 colheres de shoyu e 2 colheres de sopa de mirin.

Adicione os demais ingredientes. Tampe e termine de cozinhar.
Da minha mãe já fica ótimo logo após o preparo mas no dia seguinte fica melhor ainda!
Espero ter ajudado de alguma forma, mas qualquer dúvida, volte a perguntar!

22 comentários:

Anônimo disse...

Nossa Akemi, obrigada mesmo viu! Eu entrava todo santo dia na espectativa de vc ter colocado a receita rs, e chego hj a receita esta postada, nossa q alegria. Virei sua fa viu, suas receitas sao otimas o blog eh lindo. Jah fiz algumas receitas q vc postou e a familia aqui adorou,. Meu bb eh meio enjoadinho com 2anos 8 meses, mas os pratos q fiz com suas receitas ele papou tudinho. Obrida viu e sempre venho te visitar rs

Akemi disse...

Poxa, que legal saber que vc já testou outras receitas e deram certo! Desculpe o improviso desta receita mas minha mãe faz tudo no olhômetro.
Só uma coisinha, deixe seu nome da próxima vez, por favor! Beijos e sucesso! ;-)

Karen disse...

Preciso experimentar, eu nunca fiz,minha mãe também quase não fazia. Minha avó teve seis filhas e a minha mãe foi uma das poucas que nunca se interessou muito pela cozinha...

márcia disse...

hummm... nishimê... eu adoro!!! minha tia faz e sempre manda um pouco pra mim... realmente o tempero que é o segredo... bjs

Regina disse...

Realmente, minha mãe faz e não tem igual! Elas tem o dom rsrsr

Anônimo disse...

Acho que nishimê deve ser coisa de vó ou de mãe, pois o da minha mãe e da minha vó são os melhores...acho que é bemparecido com o da sua mamy.
Akemi eu te mandei um receita de sorvetão, vc recebeu?
Marina Takahashi

miki w. disse...

akemi, eu tb adoro o nishime da minha mae. acho q é uma especialidade de maes mesmo né!
beijinhos, miki

Anônimo disse...

Clarice, nunca comi esse tipo de prato, mas achei engracado o q disse sobre preparar o prato do mesmo jeito q sua mae e nao sair igual... o mesmo acontece comigo quando faco o "frango no molho" que minha mae faz p/ comer com polenta. Por mais q eu tente nunca fica igual... fica gostoso, mas parece q falta algo, ja desisti de tentar fazer igual, e agora toda vez q vou ao Brasil ela faz p/ mim! (e la estou eu assistindo p/ ver se pego o "truque" da coisa, mas por enquanto nada...!) hehe!
Beijos!
Ana

Anônimo disse...

Nunca comi isso mas essa foto me apeteceu! Tanta variedade, como tudo na cozinha japonesa! Acho q vou ter q ir pra um restaurante pq eu nem saberia comprar os ingredientes..

Akemi disse...

Karen, na minha família também nem todas as tias sabiam cozinhar tão bem quanto a minha ba-chan!

Márcia, que tia yasashii!

Regina, sorte sua! ;-)

Mari, acho que agora vc falou tudo! É ofukuro no aji!

Miki-chan, já pensou um festival de nishimês de cada mãe???? rsss

Ana, acho que as nossas mães colocam algum temperinho especial que a gente deixa escapar num minuto de distração, não é possível! rsss

Camila, acho que nem em restaurantes é capaz de vc encontrar um bom nishime, considero comida de família mesmo. Coisa passada de mãe para filha, sabe? O que talvez vc pode encontrar é o oden, é um cozido também mas são vendidos porções de cada ingrediente separadamente, é muito bom também!

Alessandra disse...

Oi Akemi, desculpe a indelicadeza rs, nem me aprensentei ne, fui eu q pedi a receita do nishime pra vc, meu nome eh Alessandra espero q possamos ser colegas rsrs
bjos

Akemi disse...

Muito prazer, Alessandra! Claro que podemos ser amigas! Volte sempre que quiser! Beijos!

angela ivana disse...

parabéns Akemi por tuas receitas... o visual está magnifico e vou testa-las com meu pessoal...entrei a procura de como retirar o amargo do broto de bambu e tive uma bela surpresa....magnifico...continue...tentarei fazer de sua pagina meu ponto de pesquiza...obrigado

Paolla disse...

Ai meu Deus, nishime! Minha avó faleceu antes de me ensinar essa receita e minha mãe sempre achou muito complicado, então morro de vontade disso há anos! Vou tentar fazer no próximo ano-novo que passar em casa!

Akemi disse...

Paolla, espero que o seu fique tão delicioso quanto de sua ba-chan! Beijos e boas festas! ;-)

Anônimo disse...

Oi Akemi,eu sou a Rosa de Belém do Pará, Brasil,já morei no Japão e eu estava procurando justamente sobre nishime e acabei parando aqui, seu blog é muito legal e queria que nos tornásemos amigas.

Espero que você atenda o meu pedido!

Akemi disse...

Oi Rosa! Muito legal receber sua visita no Pecado! Se quiser me escrever, meu mail é pecadodagula.akemi@gmail.com!
Bjs e volte sempre!

Anônimo disse...

Akemi sam (ou tchan!!!), estava procurando alguma coisa sobre lenkon e caí na sua página. Parabéns pela página e pela receita de Nitsume, tenho saudades dos "shogatsus" com toda a família reunida. Parabéns

Anônimo disse...

O nishime da batian (vó), tia, mãe, etc. fica gostoso na medida que cada pessoa que prepara o alimento a pessoa acrescenta um ingrediente essencial que é o amor e o carinho. Naquele filme "o sabor de uma paixão" fala exatamente sobre o que deve conter no caldo para ficar gostoso...

MAKAKA disse...

Experimentei este prato numa celebração aos antepassados, muita gente se espantou por eu ter "gostado tanto " e me falaram que o povo japonês mesmo; a maioria tinha enjoado...
Espero um dia poder preparar.


Parabéns por compartir.

Leise Harumi Baía Ashiuchi disse...

vou fazer amanhã, para meu irmão que ama este prato, agora que a nossa obaachan é falecida, alguém tem que continuar essa culinária!!!

Anônimo disse...

Akemi, adorei as receitas. Porém tem algumas que não consigo visualizar (carne de porco com misso, beringela com gengibre...), é possível disponibiliza-las novamente? Grande abraço. Ellen

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails