sábado, setembro 18, 2010

Comendo em São Paulo


Já tinha até esquecido do ritmo acelerado de São Paulo e depois de quase ser atropelada pelos passageiros do metrô, apertei o botão "andar mais rápido" e comecei a entrar no ritmo de cidade grande.
Além do curso a expectativa era grande para rever familiares, fuçar as lojas do centro, shoppings e comer!!! Selecionei vários lugares mas o tempo foi curto e nem metade consegui visitar. Quem sabe numa próxima vez...
Estava ansiosa para conhecer o restaurante Kidoairaku na Liberdade, muito resenhado em vários blogs de comida. Fica do outro lado do Bunka, já tinha passado em frente trocentas vezes e nunca tinha reparado na sua fachada! O ambiente lembra aqueles "kissatens" (restaurante/cafés) do Japão. Chegamos cedo, nos blogs dizem que o lugar lota e constatamos ser verdade. Antes de terminar nossa refeição, todas as mesas já estavam ocupadas, inclusive o balcão. Outra coisa que notamos é que todos os clientes são japoneses ou descendentes e a nossa volta, só ouvíamos conversas em japonês. Por um instante achei que estava de volta ao Japão!
Confesso que nos assustamos com os preços dos pratos. Imaginava ser na mesma faixa dos outros restaurantes japoneses da Liberdade que costumamos frequentar mas os pratos que pedimos eram bem servidos e saímos bem satisfeitos do restaurante. Pedi peixe empanado e o marido pediu tonkatsu, carne de porco a milanesa. O teishoku vem com muitos acompanhamentos: salada, conservas, sunomono, cozido, missoshiru e uma espécie de chawanmushi mais firme. O arroz é excelente, com direito a repeteco. Não pedimos nada para beber mas serviram chá verde e como sobremesa, gelatina de café regado com leite condensado, delicioso!



Já na região da Avenida Paulista, queria passar na Santa Luzia. No caminho, experimentamos um cupcake na Wondercakes. Pedimos um de frutas vermelhas, um dos poucos que não leva chocolate e ficamos encantados. O bolinho é muuuuito bom!!! Massa úmida, recheada com geléia de frutas vermelhas e uma cobertura super leve. Não estava nada doce em excesso. Até marido que é avesso aos bolos e doces daqui elogiou.


Na Santa Luzia, por incrível que possa parecer, não encontrei nenhum ítem que procurava. Se não tem lá, acho bem difícil conseguir encontrar em outro lugar... bom, paciência minhas lombriguinhas!
Experimentamos também o famoso pão de queijo da Haddock Lobo e confesso que não achei isso tudo que li por aí. Dizem que sai fornada de 15 em 15 minutos mas não sei se o horário que fomos não ajudou mas o pão já estava meio borrachudo. A única coisa diferente mesmo era o formato. Não sei se valeria outra ida para comprovar sua fama, acho melhor gastar os R$6,00 dos dois pães para comprar polvilho e queijo e preparar em casa...
Experimentamos eclairs no bistrô Le Vin mas achei que não eram do dia. Fomos conhecer também o Nami Choux. A confeitaria é linda, com pé direito altíssimo e uma decoração requintada. Eles oferecem bolos em pedaços, salgados e pães. Assobiei para mim mesma ao ver os preços dos doces, na média de R$7,00 cada. Levei apenas 2 pedaços de chiffon cake de baunilha coloridos para minha sogra experimentar.
A única coisa que lamentei foi descobrir que a confeitaria Premier Cake na Alameda Campinas fechou as portas. Ela também oferecia bolos no estilo japonês a preços bem mais acessíveis e mais saborosos que a Alteza da Liberdade.
Falando em Liberdade, no domingo, antes de viajar de volta para Maringá, voltamos ao bairro para visitar as lojas e as barracas de comida da feirinha na praça. Experimentamos takoyaki. A massa não fica a dever para os japoneses mas o pedaço de polvo era bem pequenininho, compreensível já que aqui custa os olhos da cara. Para ficar mais parecido, só faltou mesmo maionese por cima dos bolinhos.


Comemos também guiozá e nikuman mas achamos a massa bem pesada, bem diferente dos que comíamos nas lojas de conveniência japonesas. Lá a massa é bem levinha, um algodão, talvez seja a farinha de trigo daqui.



Vi muita gente comendo tempurá de camarão mas estava tão encharcado de óleo que certamente meu fígado chiaria depois. Encerrei com um imagawayaki, um bolinho assado na chapa recheado com ankô, doce de feijão. Na aparência lembra muito oban yaki mas a massa é mais fina e uma textura mais borrachuda como pão de queijo.



Fica para uma próxima visita os lugares que não consegui ticar na minha lista de comidinhas a experimentar! Como perceberam, em São Paulo é muito fácil cometer o pecado da gula!!! ;-)

16 comentários:

Ana disse...

Quanta coisa bacana Akemi, gostei do seu post!
E tenho q concordar, uma das ultimas vezes q fui p/ SP nos fomos experimentar o famoso pao de queijo da Haddock Lobo e eu achei pessimo. Tbem nao sei se era um pao de queijo de 14 minutos atras, mas nao era nada como eu esperava. Sou mais aqueles da Casa do Pao de Queijo! rs!
Beijos!
Ana

Fabiana disse...

Akemi,
Adorei o seu passeio gastronomico!
Eu nasci em Sampa,mas na região da zona leste, por isso,conheço pouco desse outro lado, e o pouco que conheço, é através de blogs que indicam os lugares.
agora, vou anotar os seus, para eu provar também.
beijos

Karen disse...

Akemi, que bacana fazer o curso com a Simone!

Sobre a comida em SP, sei lá, talvez seja um problema meu, mas sinto cada vez menos vontade de fazer "explorações" acho tudo caro e geralmente decepcionante. Fico contente quando encontro um lugar servindo um bom prato feito. rs

O Nikuman por aqui é realmente horrivel (pelo menos aqueles que experimentei), massudérrimos. E acho que há muita muvuca para comer na feirinha da Liberdade.

Simone Izumi disse...

kkkkkkkkkkkkk....347 mil calorias em um fds de Sampa!
Menina, vc tem um buraco negro dentro de vc...igual a mim!! Adorei as dicas...é engraçado, mas nao conheço nenhum lugar que vc visitou!!Estou super desatualizada!!!!
Um super bjo, da próxima eu vou junto no seu bolso!
si

Debora koso disse...

Uau!!!!!Realmente acho que e a farinha diferente porque ja fizemos guiosa e okonomiyaki no Brasil e aqui e zenzen tigau mesmo.
Ah como e gostoso passear na Liberdade,natsukashi!!!!,bjos muitas luzes!!!!

Mari - Strawberrycandy disse...

Tanta coisinha deliciosa,....
Beijinhos

Letícia disse...

Akemi!
q delícia esse seu passeio!!! Fui pra São Paulo mês passado e fui almoçar na Liberdade 3 dias seguidos!!! Que comida deliciosa!! Comi também o takoyaki!!!!! Fazia uns 2 anos que não ía lá e estava morrendo de vontade de comer novamente!!!! Comprei o peixe seco e um molho de ostra (é isso que eles usam?!) na esperança de tentar fazer algo parecido em casa! Você tem alguma receita de takoyaki?!! Diz q sim! :) Ensina pra gente? :)

Anônimo disse...

Oi, Akemi

Estava lendo esse seu post e vendo os tipos de doces que você foi comer e fiquei pensando se você já conhece a Hachimitsu, de Londrina? Agora que você mora aqui pertinho, vale à pena vir para Londrina só para experimentar...
Se você resolver fazer um tour gastronômico por Londrina, acho que vale a pena passar pelos seguintes lugares, se é que você já não passou (Nelson Boulangerie - pães e Hachimitsu - doces).
É claro que existem vários restaurantes, churrascarias, confeitarias muito bons aqui, mas essas duas sugestões são diferenciadas e pelo que conheço do seu blog, acho que você gostaria muito deles.
Bjs,

Luciana Cacione Zotelli

Lu disse...

nossa quanta comida, amo comida japonesa, alias tudo que é diferente, manda uumas receitinhas ai pra nois...boa semana

Akemi disse...

Ana, será que somos tão azaradas assim??? Acho que até o pão de queijo que comi na parada do ónibus de volta para Maringá dá de 10 a 0 para o da Haddock! rssss

Fabiana, e eu vice versa! Se tiver boas dicas de comidinhas por lá, pode passar!!!

Karen, incrível como a gente fica feliz quando a comida de algum lugar é boa, quando deveria ser uma regra, não é mesmo?

Si, pior que o buraco negro está com pneus cada vez maiores!!!! kkkkk

Debora, nunca experimentei fazer aqui no Brasil mas encontrei duas versões de takoyaki. Uma da Mari Hirata e outra da Marisa Ono. Os links são esses:

http://come-se.blogspot.com/2010/08/takoyaki-kidoairaku-forminha-de.html

http://marisaono.com/delicia/?p=139

Mari, obrigada!

Letícia, nunca fiz takoyaki em casa e também não tenho a fôrma mas dá uma olhada nesses dois links que indiquei acima para a Debora. Quanto ao molho, existe o molho pronto para takoyaki ou para okonomiyaki, não sei se existe à venda por aqui mas na falta, vc pode fazer a seguinte receita caseira:

2 colheres (sopa) de catchup
2 colheres (sopa) de purê de tomate
3 colheres (sopa) de shoyu
1 colher (sopa) de açúcar
80ml de molho inglês
100ml de caldo de peixe (dashi) ou água
1 colher (sopa) de amido de milho dissolvido em 2 colheres (sopa) de água

Leve o catchup, purê de tomate, shoyu, açúcar, molho inglês e o dashi ao fogo. Quando ferver, vá juntado o amido dissolvido até engrossar formando um creme leve. Deixe esfriar e empregue.

Luciana, muito obrigada pelas dicas! Estive em Londrina uns 2 meses atrás e visitei o Hachimitsu e o Nelson Boulangerie, sim. Era um sonho conhecer estes dois lugares desde que estava no Japão e só aumentou mais ainda quando soube da trajetória de sucesso do casal da Hachimitsu através do site da Sebrae. Adoraria voltar para Londrina e conhecer outros bons lugares, se puder dar nomes de alguns ficarei feliz e agradecida!!!

Akemi disse...

Oi, Lu! Se vc clicar em comidas orientais no índice de receitas, vc vai encontrar muitas receitas!

Letícia disse...

obrigada! :)

Rachel disse...

Aiai Akemi, e quem não cometeria esse pecado com tantas delícias assim...visitei literalmente todos esses lugares com você, agora !

Bjuss!!!

Lala disse...

Vixe, quaaaanta comida boa (e não tão boa assim, pelo que vc contou!). Você comeu isso tudo num dia só!?!

Lá na liberdade eu gosto muito bo BANRI. Já foi??

Já estou seguindo.


bjs,

lilian disse...

Oi Akemi.
Adoro visitar seu blog e sempre que posso, venho.
Você escreve muito bem, e parece levar a vida de um jeito muito agradável. Continue assim, nos inspirando, sendo batalhadora e correndo atrás de seus sonhos.
muitos beijos
lilian

Akio Uemura disse...

Olá Akemi,

Primeiro gostaria de dizer que seu blog me encanta, todas as pessoas que veem seus pratos ficam com água na boca.
Este post sobre o restaurante Kidoairaku me chamou muito a atenção, pois já havia visto muitos comentários sobre o restaurante e nunca havia reparado na esquina laranja com a janela quase no nível da calçada.
Olha que eu faço curso de japonês no Bunkyo duas vezes por semana. Ai, que vergonha. Rsrs...
Mas na semana retrasada fiquei com preguiça de andar para almoçar. Eis que surgiu a oportunidade perfeita para provar algum prato do Kidoairaku.
Também comi peixe empanado, que era o prato do dia e fiquei muito confuso para escolher qualquer outra coisa. Estava delicioso, muito gostoso mesmo.
O bacana é que o ambiente te transporta para outro lugar, ali definitivamente não é o Brasil. A decoração é bem típica e quase ninguém falava português.
Não vejo a hora de repetir a dose. O problema é que estou de dieta e comer tudo aquilo não vai deixar a nutricionista satisfeita.

Parabéns pelo blog.

Abraço,

Akio Uemura

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails