quinta-feira, novembro 18, 2010

Rabada com agrião e polenta


Mais uma receita que vem da cozinha da Priscila! Rabada é um prato daqueles que provocam reações bem radicais, tem quem ama e tem quem odeie. É um prato forte mas se bem preparado, torna-se uma delícia sem igual!
Em casa nunca havia comido rabada. Aliás, estas carnes "diferentes" não apareciam com frequência na nossa mesa. Vez ou outra meu avô cismava que queria comer bucho e aí preparava um panelão. Só de lembrar do cheiro do bucho cozinhando me dá embrulhos no estômago, talvez por isso era a única da família que não participava da lambança. Todos lotavam o prato com a iguaria.
A rabada foi apresentada através da minha sogra. Estava no começo do namoro com o Luiz e certo dia ele me conta que a sua mãe queria que eu fosse almoçar com eles. Era um almoço de domingo e quando cheguei no apartamento ela me diz que tinha feito rabada! Perguntou se eu gostava. Engoli em seco. E agora??? pensei.... Imagina, no primeiro almoço com a futura sogra! Nunca tinha comido, mas disse uma mentirinha que adorava! rss
Na primeira garfada, supresa! Que delícia! A carne macia soltava do osso e o molho misturado ao arroz foi tudo de bom! Comi e repeti e fiquei aliviada por não ter mentido afinal de contas. Virei fã de rabada!
Até encontrar os segredinhos da Priscila, costumava limpar os pedaços de carne ainda crus, preparar a rabada e depois separar a carne do molho e levar à geladeira para que a gordura se solidificasse e fosse desprezada.
No jeitinho da Priscila, a carne fica bem mais limpa e a rabada mais leve e gostosa! Único problema é que é um processo meio demorado, tem que fazer num dia em que você está bem zen e com tempo mas o resultado final compensa! ;)

1ª etapa:

2 rabos de boi (pesando quase 2 kg) cortados em rodelas grossas
1 cebola média cortada em 4
talos de salsinha e folhas de alho poró se tiver
água para cozinhar
suco de 4 limões

Não precisa limpar nada nesta etapa, apenas lave rapidamente os pedaços de rabo e coloque-os na panela de pressão junto com a cebola, talos de salsinha e folhas do alho poró. Cubra com água. Tampe e quando começar a chiar conte 10 minutos. Não abra a tampa. Deixe esfriar naturalmente.
Só depois disso, abra a panela, escorra e descarte o caldo (eu coloquei numa vasilha e deixei na geladeira para separar a gordura da água. É melhor para jogar fora). Lave bem todos os pedaços de carne. Escorra bem e agora vem a parte mais demorada. Pegue uma tesoura de cozinha e comece a limpar os pedaços de carne, tirando todas as gorduras, nervos e peles com cuidado. Vá colocando os pedaços limpos numa vasilha grande. Esprema o suco dos limões aí, misture bem e deixe por 5 minutos.

2ª etapa:

3 colheres (sopa) de óleo
5 dentes de alho picadinhos
1 cebola grande picadinha
1 pimentão picadinho
125ml de vinho branco seco (usei 100 ml de vinho tinto seco)
1 lata de molho de tomate pronto (usei 2 colheres (sopa) cheias de extrato de tomate)
1 cubo de caldo de carne
pimenta do reino a gosto
1 pimenta dedo de moça sem sementes picadinha (não usei)
orégano a gosto
2 folhas de louro
água quente o suficiente
1 maço de cheiro verde picado
1 maço de agrião limpo (só folhas e talos mais finos)

Aqueça bem uma frigideira em fogo forte. Jogue um fio de óleo e frite os pedaços de rabo até que fiquem corados de todos os lados.
Na panela de pressão, faça um refogado com o óleo, alho e cebola. Deixe fritar até começar a ficar caramelado. Junte o pimentão e refogue mais um pouco. Coloque os pedaços de carne e o vinho. Misture e deixe ferver alguns minutos para evaporar o álcool. Acrescente o extrato de tomate, o cubo de carne esfarelado, pimenta do reino, orégano e louro e metade do cheiro verde. Despeje água quente até cobrir toda a carne. Mexa bem e cubra com a tampa. Quando começar a chiar, conte 45 a 55 minutos. A carne deverá estar macia e quase se soltando dos ossos. Verifique o sal.
Eu preparei a carne à noite e deixei tomando gosto uma noite. O molho ficou mais encorpado.
No dia seguinte, aqueça a carne e quando estiver borbulhante, jogue o agrião picado grosseiramente e cheiro verde. Misture e deixe apenas murchar. Sirva em seguida com polenta bem molinha!

Polenta:

1 litro de água fria
1 copo (requeijão) cheio até a borda de ki polenta
1 cubo de caldo de carne esfarelado
2 colheres (sopa) de manteiga
2 dentes de alho amassados
1/2 cebola média ralada
cebolinha picada a gosto
sal se necessário

Coloque tudo numa panela grande e leve ao fogo. Misture sem parar até começar a engrossar (cerca de 20 minutos). Parece muito mole logo que tira do fogo mas depois dá uma encorpada e fica no ponto para comer com a rabada. Depois de fria, dá até para fritar segundo a Priscila, mas isto ainda não testei.

14 comentários:

Ana disse...

Hahaha, dei risada, pois algo parecido aconteceu comigo Akemi!
Na primeira vez q fui almocar na casa do meu marido (entao namorado) o prato era bife-role, algo q eu nunca fui muito fa. Minha avo fazia, minha mae fazia, e nos dias q aparecia na mesa eu me esbaldava com arroz feijao e legumes, os rolinhos eu deixava por conta dos outros. Meu maior problema: alem de nao gostar da textura com q a carne ficava, a maioria das pessoas entucha bacon nos roles.
Enfim, quando cheguei la e minha sogra perguntou se eu gostava eu tbem engoli seco, nao so antes de responder, mas depois os bifes-roles tbem, rs! Estava gostoso, e eu comi tudo, bacon and all, mas foi a ultima vez q eu comi bife-role na vida (12 anos atras).
Mas olha, sorte q era bife role e nao rabada, pois essa eu passo mesmo.
Posso ficar so com a polenta?
Bjs!
Ana

ameixa seca disse...

Nunca comi rabada mas gosto dessas partes que revolvem o estômago de muita gente :)
Polenta cremosa já não aprecio tanto.

♥♥ belinhagulosa ♥♥ disse...

Têm muito bom aspecto heheheeee

bjokinhas

Beatriz - Jubiart disse...

Akemi, isto é que se chama de "saia justa" que susto hemmm... rsrsrs
Como pouca carne, mas quando como...Adorooooooo rabada! E essa forma diria que é a clássica para dar uma bela siesta depois do regabofe.

Um beijo neste coração guloso...

Beatriz - Jubiart disse...

Akemi, isto é que se chama de "saia justa" que susto hemmm... rsrsrs
Como pouca carne, mas quando como...Adorooooooo rabada! E essa forma diria que é a clássica para dar uma bela siesta depois do regabofe.

Um beijo neste coração guloso...

Quitutes da Juju disse...

hahahaha aconteceu quase o mesmo comigo! Cheguei para almooçar na casa dos pais de uns amigos e o quue tinha: rabada!!! Se só tem esse prato, porque perguntar se a gente gosta não é mesmo? E se a resposta for não, como é que fica? Claro que disse que sim e tive uma grata surpresa! Mas nunca fiz em casa..Bjs

http://quitutesdajuju.blogspot.com

Sandra Peres disse...

Eu também faço assim, e todo mundo come e gosta, e olha, não tenho muitos problemas para comer não, mas se não gosto de algo, não como de jeito nenhum, só se eu tiver muita vontade de experimentar.

Bjos

Priscila Beneducci disse...

Bom dia Akemi

Prazer falar com vc. Eu nem sabia que vc gostava das minhas receitas do meu jeito....
Fiquei lisonjeada, eu te acompanho desde do tempo do Japao, qdo internet era apenas lanshouse para mim.

Agora vc vende bolos, e adoro o jeito que vc faz, as fotos sao de dar agua na boca.

A sua historia da Rabada é 10!...

Vc explicou direitinho o passo.

Fiquei contente mesmo.

Priscila Beneducci

Anônimo disse...

Terezinha disse: Oi....Akemi....A rasbada é um prato da minha infância. MInha mãe fazia duas a tres vezes por ano para cmer com arroz. Uma delicia apezar da carne gorda. Naquele tempo o povo não fazia dieta, risss. A minha história é com lingua. Casada a pouco tempo um dia meu marido apareceu em casa com um embrulho, e quando abri minha surpresa, uma enorme lingua. A iguaria deu no que falar. Imagine Akemi anos 60 sem receitas como temos hoje. Naquele tempo quem tinha não dividia com ninguem. Akemi eu quero tabém rabada com polenta molinha, Hummmm que delícia. Abraço enorme da T.

a. luz disse...

Eu adorooooo rabada!!!!rs
Acredita que vim parar no seu blog procurando uma receita de bolo de mandioca??rs...

E virei seguidora!!!=)

Visita o meu qqr hora também!

Beijokas!

Ana Luz
www.artedetemperar.blogspot.com

karaimame disse...

Akemi-chan, adorei a historinha ^_^. Adoro essas comidas com "história"!!
Lembrei-me de ter ido na casa da tia do meu marido pela primeira vez na Lapônia e ela nos serviu sopa de ossobuco de rena...! Achei super forte mas pasme, uma delícia ;).
Tsc, tsc... essas parentagens de marido né! :D
Ah! Também adooooooro polenta! Se fosse bicho eu seria galinha (hahahahaha, piada)
Beijooooo

Akemi disse...

Ana, tbm dei boas risadas com sua estória! Essas nossas sogras hein! rss

Ameixa, invejo pessoas como vc! Quem gosta destas partes diferentes come com um gosto de revirar os olhos! A moela do frango era disputadíssima em casa! rss

Belinha, obrigada!

Beatriz, uma sinuca de bico, amiga! Ainda bem que no final tudo deu certo! rss

Juju, nossas estórias são idênticas! Que bom que as duas terminaram bem ne?:)

Sandra, tbm tenho alguns pratos que não comeria de jeito nenhum a não ser que alguém me engane e não conte! rsss

Priscila, eu adooooooro suas receitas! Tenho quase um carderno cheio só com receitas que tirei do seu cantinho! É que entro quietinha na sua cozinha! hihihi
Nossa, nem sabe como fico feliz com elogios aos meus bolos vindo de vc, uma super boleira de mão cheia! Bjss

Terezinha do céu, como vc se virou com a língua, amiga??? Acho que se abrisse o pacote e visse a língua ia jogar para cima e sair correndo! rsss

Ana Luz, seja bem vinda e obrigada pelo convite!

Lily-chan, isso que eu chamo de sopa de sustânça! rsss Minha sogra tem vários pratos diferentes na manga dela! Mas adoro por ampliar mais os horizontes gastronômicos!
Eu tbm fico pensando se não fui galinha em alguma vida passada de tanto que gosto de milho e fubá! rsss

Fabiana disse...

Akemi,
Adorei a história do seu primeiro encontro com a sogra e a rabada..kkkkk
ah, nem me lembro se eu já comi ou não, mas posso dizer que eu adoro bucho..kkkk, e comia ele com shoyu.
a unica coisa que eu não consigo digerir, é salsão...acho forte demais.
O seu prato ficou lindo, perfeito!
beijos

Simone Izumi disse...

Ake,
eu não sou do time das rabadas. Não consigo desassociar o prato ao...rabo do porco, oras!hahahahah...
até que um dia, o marcelo me pegou chupando um ossinho num restaurante mineiro e disse: Ué, vc ta comendo rabada? Eu: Não, eu nao como rabada...isso é costela!!
Daí ele começou a gargalhar e disse: desde quando o osso da costela é furadinho e redondinho assim????
ai jisuis.
E tava booommmmm...
um bjo
si

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails