quinta-feira, agosto 17, 2006

Obon Yasumi



Para quem reparou no meu sumiço, estou de volta! O motivo foi o feriado de Obon aqui.Depois de ansiar durante o ano todo, finalmente o descanso de verão chegou! Uma semana inteira pela frente só de papo para o ar! Bom, planejamos descansar mas acabamos passando mais tempo tentando nos distrair ou divertir, afinal é verão e ficar em casa é a última coisa que queremos. Por mais que o calor esteja infernal lá fora e por mais fresco que esteja em casa com o ar condicionado ligado a todo vapor durante todo o dia, queremos mais é sair e curtir muito SOL!!!!!
Costumamos viajar nesse feriado ou senão aproveitar as praias, piscinas e rios da região. Desta vez começamos com uma boa churrascada num parque perto de casa, muuuuita carne e boa companhia, precisa mais? Thanks aos nossos familiares e amigos que estiveram presentes, foram momentos super agradáveis!

Depois disto, fomos para Nagano visitar minha mãe. Uma viagem de cerca de 4 horas pegando a auto-estrada. Por ser feriado, até que não encontramos grandes engarrafamentos. Fomos "bochi bochi" (sossegadamente), aproveitando a paisagem. Por aqueles lados têm montanhas para tudo quanto é lado, muito verde, ar puro (suspiro)...e fazendo pit stops nos pontos de parada ao longo da auto-estrada. Aqui tem um ponto de parada a cada 15 a 20km mais ou menos. Eles têm no mínimo banheiros e máquinas de refrigerantes e cigarros e outros, maiores e mais completos, têm postos de gasolina, restaurantes, barraquinhas de comida e souveniers. As pessoas aproveitam para esticar as pernas, dar um passeio com crianças ou cachorros, abastecer o carro e o estômago. Adoro parar nestes lugares, ficar observando os produtos, as comidas típicas da província pelo qual estamos passando, ver o movimento das crianças saltitantes, idosos caminhando lentamente, motoristas com ar cansado, mães equilibrando salsichas e refrigerantes para a família...

Nagano é uma província conhecida pelas uvas e pelo clima ameno no verão. As uvas estavam lindas nos parreirais, alguns até nas calçadas da cidade, como esta da foto acima. E ninguém mexe nas uvas, não! Agora quanto ao calor... bem, desta vez encontramos muuuuuito por lá. Dava para fritar um ovo no asfalto e mesmo à noite, era difícil pegar no sono por causa do calor. O ventilador zunia o dia todo mais a noite também, sem muito sucesso para tirar a sensação de mormaço.




Queríamos conhecer uma cidade da região chamada Kamikochi. Saímos só com a informação de minha mãe que era um lugar turístico muito comentado pelos japoneses da fábrica onde ela trabalha e era relativamente perto. Pegamos a estrada era quase meio-dia, pega uma estrada, pega outra e nada da cidade. Perguntamos numa loja de conveniência como chegar à cidade e ele nos informou que ainda tínhamos quase 3 horas de viagem pela frente. O quê????? Nem pensar, pois iríamos chegar só à noitinha lá. Quem manda acordar tarde??? rssss
Resolvemos perambular pela região e descobrimos um pequeno parque. Muitas ervas nos jardins, que apesar de secas, exalavam um cheirinho bom no ar. Havia também um museu e fomos conferir os quadros dos pintores da região. Adoro estar num museu de arte. Pode ser um programa de índio para muitos mas gosto do silêncio, da luz indireta, ouvir os passos ecoando pela sala e, é claro, apreciar os quadros. Muitas vezes não consigo captar a mensagem do artista, mas outros te prendem a atenção de uma maneira intrigante.




Trouxe o dobro na bagagem de volta, por conta das "pequenas comprinhas" que fizemos em Nagano. Aaaaamo as geléias de lá, simplesmente deliciosas, nada dessas geléias que parecem mocotó daí do Brasil (pelo menos as marcas que costumava comprar no mercado de São Paulo eram assim) e que no final viravam copo em casa...rs Tínhamos que abrir os copos com a ponta da faca, que coisa mais tosca e perigosa, lembram-se??? Isso me fez lembrar minha infância! Antigamente meu bolo de aniversário e dos meus irmãos eram recheados com geléia de morango e cobertos com merengue (clara em neve, açúcar e um pouco de suco de limão). Creme chantilly nem pensar! Naqueles tempos, o chantilly que conhecíamos era da Kibon. Os potinhos eram conservados no congelador junto com as latas de sorvete (alguém se lembra destas latinhas???) na padaria e o dia que podíamos comprar para comer com morango era uma festa só em casa! Hoje, fazendo o chantilly a partir do creme de leite fresco, vejo como meu paladar era modesto, mas agradeço de coração a minha tia que sempre se lembrou de fazer bolos para nós. Espero que depois de todos estes anos tenham melhorado a textura das geléias brasileiras, pois comer uma torrada quentinha com manteiga derretendo e geléia por cima é ótimo demais!
Voltando às minhas compras, as geléias de lá não perdem em nada das geléias caseiras, têm uma textura super leve e não são exageradamente doces. Trouxe também alguns vinagres, óleo de semente de uvas e mel. Achei umas farinhas de pão diferentes por lá também. Vocês devem pensar, oras farinha é tudo igual, ne? Mas tem diferença sim e gosto de experimentar tudo quanto é tipo que encontro. Cada uma se comporta de um jeito usando a mesma receita, é uma experiência diferente com cada uma. Se você gosta de fazer pão em casa e tiver a oportunidade de conseguir diferentes farinhas, tente fazer isso!
Achei pó de batata doce roxa! Estou pensando numas experiências com bolos e pães aqui, vamos ver se dá certo! Da minha mãe, ganhei esses kinkans cristalizados (laranjinhas de casca macia mas azedinha por dentro) que são ótimas de comer pura mas estou querendo fazer pães com eles também e uns docinhos de blueberries, parecidos com aquelas bananinhas cristalizadas do Brasil na textura (na verdade não sou muito chegada nesse doce de banana, gosto mesmo é de banana passa. Minhas amigas aqui não entendem como eu gosto dela, pois é super sem graça para elas! rs). Naquele parque de ervas encontrei pétalas de rosa secas para serem usadas em chá. Deve deixar um perfume delicioso, pelo menos eu espero! ;p
E finalmente as frutas! Como já disse, Nagano é a terra das uvas, mas também encontramos maçãs deliciosas assim como pêssegos enormes, super carnudos, doces e suculentos (você pode vê-las na foto atrás das maçãs). Estes pêssegos custam uma pequena fortuna aqui, mesmo na sua temporada. Os maiores custam cerca de US$ 3 cada um!!!!
As uvas são um show à parte. Para quem gosta desta fruta, aqui você encontrará muitas variedades e todas ótimas. Esta de bagos maiores e escuros se chama Kyoho e é um mel só! Seu suco é imperdível, mas comê-las geladinhas é bom demais!
Trouxe também do tipo Niágara (lado direito da foto), igual a que encontramos no Brasil e esta de bagos menorzinhos sem sementes (ao fundo da foto) que comemos em bocadas, como os imperadores romanos nos filmes americanos...rs



E aqui uma super novidade, pelo menos para mim. Pepino no palito!
Num dos pontos de parada vimos várias pessoas comendo uma coisa verde parecida com gelinho no formato. Ficamos intrigados e procuramos uma barraquinha que vendesse algo parecido. Era conserva de pepino espetada no palito! O "inventor" da idéia estava faturando bastante pois as pessoas não paravam de chegar na barraquinha. Resolvemos experimentar também e é.... gostoso! Bem crocante e curtido. Um bom petisco para quem gosta de beber.
É, acabou-se a doce vida... mas não o verão! Com trabalho ou sem trabalho, muitos dias quentes ainda estão nos aguardando!

15 comentários:

Karen disse...

Que bom que a viagem foi tranquila, estava vendo como havia movimento no Japão por causa do feriado. Adoro as frutas japonesas, maçãs e pêssegos enormes! Adorei a idéia do pepino, meu deu vontade de experimentar, adoro conservas.

Eliana Scaramal disse...

Você me fez lembrar dos bolos da minha época de criança, as geléias era realmente como descreveu, ainda existe aqui no Brasil essas geléais (risos). Que bom o descanso que teve. Adorei as fotos.
Beijinho!

Eliana Scaramal disse...

Digo "geléias", desculpe pelo erro?!

valentina disse...

Clarice, já estava com saudades tuas. Melhor que isso 'so ouvir as tuas histórias.Bjs.

renata disse...

Divertido ler este post. Fiquei me lembrando dos porta-guaranás que tinha nas festas de aniversários lá de casa. Era tipo um vestidinho para enfeitar as garrafas. Fora que não tínhamos abridor e fazíamos furinho na tampa com a ponta da faca ou prego. Sem perder o rumo da prosa,que vida boa essa tua, hein! Amiga,fiquei preocupada com o teu sumiço mas sendo por motivo de viagem rs então está perdoada. Cruzes, ocupei muito espaço.Beijos

Patricia Scarpin disse...

Que bom você estar de volta!! :D
Lindo o teu passeio. E sou louca por uvas, fiquei aqui babando nas tuas fotos. Vc descreve vivamente as coisas, dá pra imaginar!! :D

Um beijo!

Ana disse...

Akemi, gostei do seu post de hoje!! Fico feliz em ler q sua viagem foi boa e q muito vc aproveitou e trouxe consigo do passeio!
Dei risada com a historia do bolo, pois quando eu era pequena minha mae nao eh muito "boleira" e teve uma epoca q ela fazia bolo de aniversario p/ mim com recheio de goiabada... olha, eu respeito minha mae profundamente, mas aqueles bolos eram muito sem graca. Eu nao gostava muito nao, mas nunca falei nada p/ nao chatea-la, afinal eh como vc disse, a gente tem mais q agradecer quando as pessoas fazem bolo pra gente, ne?!!
Ana

Akemi disse...

Karen, creio que o movimento de volta do feriado seja mais intenso à partir de amanhã. Apesar de todas as frutas aqui, acho que ainda prefiro às do seu pomar! ;)

Eliana, com tantas frutas deliciosas da nossa terrinha, tinha esperança que os fabricantes de geléia daí já tivessem melhorado um pouco o produto! Uma pena!

Valentina, saudades de vcs tbm, minhas amigas!

Renata, lembro sim destes "vestidinhos" de garrafas, eram de papel ne? rsss Não cheguei a abrir garrafas com garfo mas lembro que várias vezes quebrava um pedaço da boca da garrafa na hora de abrir...:(

Patrícia, vc iria se esbaldar com as uvas daqui! Espero que suas férias sejam tão tranquilas e divertidas como as minha!

Ana, achei super divertida a sua estória de bolos de aniversário! rsss Mas acho que ainda prefiro de goiabada a geléia de morango!

Paz disse...

Akemi: Thanks for stopping by my blog! I'm honored!

Beijos,
Paz

Claudia disse...

Akemi, gostei do post que me trouxe lembrancas de infancia (e tambem o comentario sobre as "roupinhas" das garrafas, nossa! fui parar no fundo do meu bau). Tambem moro longe do Brasil. Fiquei morrendo de inveja do po de batata roxa, nunca vi nada semelhante por aqui (EUA). Tenho muita saudade de batata roxa e mandioquinha (ou baroa). Obrigada por manter o blog. Cheguei aqui googlando por bolo salgado de liquidificador e viciei ;-)

Akemi disse...

Claudia, que alegria poder compartilhar essas lembranças com tantas pessoas! Em tempos de "bufetes" e das festas decoradas no capricho, esses enfeites simples que tínhamos nas festinhas nos marcaram para sempre. Ei, lembrei daquelas balas de coco que ficavam pendidam nos pratos de papel espetados na garrafa... rsss
Ahhh mandioquinha é tudo de bom ne, que saudade tbm!!! Hummmm! Claudia, espero que continue a visitar o Pecado e sempre que puder deixe um alô, é muito bom saber que pessoas legais como você dispensaram um pouquinho de seu tempo para ler algum post por aqui! Beijos!

dadivosa disse...

akemi, que delícia de post! você me levou pra uma looonga e saborosaviagem com todas essas descrições de lugares pitorescos e comidinhas regionais.
também amei a lembrança da roupinha do guaraná!

obrigada por compartilhar suas viagens e descobertas ;***

Akemi disse...

Dadivosa, vc é muito gentil! Obrigada pela visita!

Li~ disse...

Nossa amei seu blog, moça!
AMEI msm!
Pode contar com mais visitas minhas por aqui!
Beijos!

Akemi disse...

Li, obrigada pela visita! Estarei te esperando outras vezes! Beijos!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails